Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 18, 2009

Teoria do Aprendizado Social

Teoria construída por Edwin Sutherland da Escola de Chicago, A Teoria do Aprendizado Social parte da hipótese de que as bases da conduta humana têm suas raízes na aprendizagem que a experiência vital diária enseja ao indivíduo. O homem, segundo esta explicação, atua de acordo com as reações que sua própria conduta recebe dos demais, de modo que o comportamento individual acha-se permanentemente modelado pelas experiências da vida cotidiana. O crime não é algo anormal nem sinal de uma personalidade imatura, senão um comportamento ou hábito adquirido, isto é, uma resposta a situações reais que o sujeito aprende. A matéria publicada no Jornal do Commercio de hoje (Caderno Brasil na página 12) sobre o comportamento de algumas crianças que brincavam em uma escola em Porto Alegre (RS) parece endossar a teoria do cientista social norte-americano. Abaixo na íntegra: Crianças brincam de tráfico de drogas em escola Crianças da quarta série de uma escola pública de Sapucaia do Sul (Região Metrop

Miriam Leitão cita Caruaru como exemplo a ser seguido no Brasil em matéria publicada no Diário de Pernambuco

Miriam Leitão Edição de terça-feira, 20 de outubro de 2009 miriamleitao@oglobo.com.br Questão de todos A derrubada de um helicóptero da Polícia Militar não é apenas mais um episódio da guerra do tráfico de drogas no Rio. É um agravamento, uma mudança de escala. Não é como o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, pensa: "Um ato de desespero dos bandidos." É uma demonstração de força. O Rio ser uma cidade olímpica dá mais destaque à notícia, mas o crime tem que ser combatido por nós. Não é pela Olimpíada que o Rio tem que encontrar caminhos de solução do seu pior problema - a violência ligada ao tráfico de drogas -, mas porque essa é a única forma de salvar a cidade. Outro dia, estive no Complexo do Alemão para fazer uma gravação. O PAC estava lá, com suas obras. Era fácil até ouvir o martelar da construção. Mas não havia Estado. Havia obras, mas não a presença do Estado. Vi na rua central da Grota jovens armados com fuzis, à luz do dia. Subi uma daquelas ruelas

Minha resposta ao destempero do deputado Isaltino Nascimento

Professor da UFPE explica erro em artigo e garante que não faz politicagem com análises sobre violência POSTADO ÀS 01:20 EM 22 DE Outubro DE 2009 Prezado Jamildo, Houve um erro no envio do arquivo do meu computador para o seu blog, o que gerou um destempero imensurável por parte do deputado Isaltino Nascimento. Estranho é que tive publicado o mesmo artigo no mesmo dia no blog do Instituto Maurício de Nassau, do qual eu também sou colaborador junto com o deputado, com o cálculo correto. O arquivo deu erro e tive que renomeá-lo o que gerou duplicidade, um errado (quase 100% é nos números absolutos no Sertão Central de 2006 para 2007, o que difere do cálculo da taxa que coloquei no artigo) e que foi enviado para você, e um correto que foi enviado para o blog da Nassau no mesmo dia, repito. Pode parece que eu estou arengando com o governo, fato que não tive a menor intenção de fazer. Veja no blog da Nassau que o arquivo foi publicado corretamente, que a Terezinha Nunes é uma pessoa l

Uma simples análise, e uma grande confusão!

Segurança pública na pauta da Oposição e do Governo Artigos divulgados na imprensa fazem análises divergentes sobre Pacto pela Vida Tema constante nos debates no Plenário da Casa Joaquim Nabuco, a segurança pública voltou a ser foco de divergências entre as bancadas da Oposição e do Governo. De posse de um artigo do cientista político José Maria Nóbrega, publicado, ontem, pela imprensa pernambucana, a deputada Terezinha Nunes (PSDB) se mostrou preocupada com o crescimento da criminalidade no Interior. O especialista aponta salto nos números absolutos de homicídios nos municípios da região. Os dados que balizaram a pesquisa do cientista político são oriundos da Secretaria Estadual de Defesa Social (SDS). A partir dos índices fornecidos, Nóbrega constatou redução apenas em três áreas: Mata Norte; Sertão do São Francisco e Caruaru. No Sertão Central, região em que foi sequestrado um capitão da Polícia Civil e roubadas 58 armas - na última semana -, houve incremento de cerca de 100% nas

Mãe desabafa no Rio de Janeiro

Retirado de matéria publicada hoje no JC, Brasil, página 12 "Tenho a 7a série, mas levei meus filhos ao ensino médio. Dizem que o culpado é o governo, mas culpados somos nós, os pais, que não sabem dar educação para seus filhos. Povo de favela, povo de morro, quando nascerem os filhos de vocês, modelem eles do berço. A gente não pode esperar chegar aos 13, 14 anos, que eles já estarão perdidos. Se for do berço, serão obedientes, amigos de vocês. Jamais vão errar na vida, virar traficante e deixar toda a sociedade apavorada". Palavras da mãe do Cabo da PM Carioca Izo Patrício, 36 anos, morto no ataque ao helicóptero por criminosos do Morro do Macaco, Rio de Janeiro. Sem querer esta mãe levantou como tese a teoria do Aprendizado, de Sutherland, criminólogo americano, onde o crime e o comportamento deliquente pode ser aprendido no seu contexto social.

Filme motiva debate sobre violência

Protagonizado pelo ator Brad Pitt, o filme Bastardos Inglórios é tema de dabate, nesta quarta-feira (21), às 11h, na Rádio Jornal (AM780). Entre os debatedores estará o professor da Joaquim Nabuco José Maria Nóbrega. Como o sentimento de vingança resulta em violência? Esse questionamento será debatido, nesta quarta-feira (21), às 11h, pelo professor da Faculdade Joaquim Nabuco e cientista político josé Maria Nóbrega, durante o programa Super Manhã, transmitido pela Rádio Jornal (AM 780). Além do professor, também participará do debate o advogado criminalista Célio Avelino, o mesmo reponsável pela defesa de Amanda Rodrigues, viúva do pugilista canadense Arturo Gatti que cometeu suicídio em Porto de Galinhas, em julho deste ano. O tema do debate terá como pano de fundo o filme "Bastardos Inglórios", protagonizado pelo ator Brad Pitt e dirigido pelo cineasta Quentin Tarantino. No filme, Brad Pitt vive o tenente Aldo Raine cujo objetivo é organizar um grupo de soldados judeus p

Jornalista sertanejo diz que professor da UFPE só quer denegrir imagem de Salgueiro ao falar de violência

POSTADO ÀS 10:25 EM 20 DE Outubro DE 2009 Por Emanuel Andrade Sertão se abre para a transformação social Ao ler recentemente neste concorrido blog, a opinião do cientista José Maria Nóbrega, postado ontem(19) às 16h38, e que aponta o Sertão como terra sem lei, fiquei estarrecido com a quantidade de afirmações que buscam, sistematicamente, denegrir a imagem do povo sertanejo, principalmente de Salgueiro, a mais importante cidade da região Central, inserida equivocadamente no chamado Polígono da Maconha. Geograficamente o tal polígono (para mim termo ultrapassado) concentra um grupo de cidades às margens do rio São Francisco: Cabrobó, Orocó, Santa Maria da Boa Vista, Floresta, Belém do São Francisco... Em cada uma delas, ao longo de pelos menos 14 anos em que moro na região e tenho atuado como repórter, desconheço qualquer erradicação de roça da erva. Certo de que o município já foi e tende a continuar sendo palco de apreensão de até outros tipos de droga, assim como Recife, Carua

Sertão, terra sem lei II

Por José Maria Nóbrega – cientista político, pesquisador do NICC-UFPE Um oficial seqüestrado, quase 60 armas roubadas de quartéis do Sertão Central em cinco cidades dessa região, polícia perplexa e sociedade mais ainda! O que vem causando o crescimento da criminalidade violenta no sertão pernambucano? Excluindo o Sertão do São Francisco, as outras regiões de desenvolvimento no sertão pernambucano vem sofrendo forte impacto no crescimento da violência. Duas hipóteses podem ser colocadas: 1ª. Está havendo um processo migratório da criminalidade do sul e sudeste para a região Nordeste; 2ª. O trabalho de cerco à criminalidade na Região Metropolitana do Recife está levando o crime violento a ser praticado com mais intensidade no interior do estado. No Sertão Central (onde fazem parte dele as cidades de Cedro, Mirandiba, Parnamirim, Salgueiro, São José do Belmonte, Serrita, Terra Nova e Verdejante) houve um incremento nos números absolutos de homicídios de 50% entre 2006 e 2008, segundo dad

O tráfico no RJ

Por Adriano Oliveira cientista político e coordenador de pesquisa do Instituto Maurício de Nassau 1. A queda do helicóptero no Rio de Janeiro em conseqüência do ataque de traficantes chamou a atenção da imprensa e da opinião pública em razão do fato ser inédito. Por ser inédito, mais uma vez, o problema do tráfico de drogas volta a ser preocupação da sociedade, dos atores políticos e da imprensa. Com o tempo, quando o tráfico voltar ao normal, esqueceremos, infelizmente, o corrido. 2. Isto mesmo: quando o tráfico voltar ao normal. Ele volta sim. Basta apenas que as polícias não atrapalhem a atividade do tráfico nos morros. Quando ela atrapalha, conflitos surgem. Portanto, quando o contexto está calmo, isto não significa que o tráfico foi controlado pelas polícias. Mas que ela não está agindo como deveria. 3. A calmaria deixa de ocorrer também, no instante em que grupos criminosos decidem disputar outros mercados. Neste caso, territórios são invadidos. As bocas de fumo estão presentes