Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 28, 2010

Congresso reprovado

Instituições frágeis Fsp 3 março 2010 (Editorial) Enquanto as atenções se voltam para a evolução da corrida eleitoral entre o governador José Serra e a ministra Dilma Rousseff, a pesquisa Datafolha que apontou a ascensão da candidata petista também mostrou um fato preocupante: o Congresso Nacional permanece reprovado pelos brasileiros. Segundo o levantamento, apenas 14% dos entrevistados consideram o desempenho dos congressistas ótimo ou bom. Para 39%, a atuação da instituição é considerada regular, enquanto outros 39% declaram que a performance dos parlamentares brasileiros é ruim ou péssima. Impressiona o fato de a reprovação manter-se relativamente constante ao longo dos anos. Após o escândalo do mensalão, em 2005, 48% dos entrevistados consideravam o Congresso ruim ou péssimo -apenas nove pontos percentuais acima do patamar verificado hoje. O Executivo é avaliado de forma bastante diversa. Do mensalão até agora, a reprovação a Lula caiu de 29% para 5%. Já 73% do total estimam q

Conversa do Dia

Hoje estarei presente na Rádio Clube de Pernambuco, Am, 720, para discutir a corrupção política e os últimos escândalos no Distrito Federal. O Programa "Conversa do Dia" será das 11 ao meio dia e contará com a presença de convidados de ONGs e outras instituições da Sociedade Civil.

Eleitores sem memória, política sem partidos

Por Gláucio Ary Dillon Soares - Cientista Político e Sociólogo IUPERJ Publicado em O GLOBO, 22.20.10 A mídia brasileira descobriu, pela enésima vez, a "amnésia eleitoral". Segundo Pedro Fernandes, o Instituto Data Rio publicou dados que mostravam que somente 4% dos votantes sabiam em quem votaram para deputado federal e, em igual percentagem, para deputado estadual. Embora exista uma clara correlação entre nível educacional e lembrança, o autor nos lembra de que 53% dos que possuem educação superior não se lembravam em quem votaram, segundo pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas. O autor lembra a responsabilidade dos políticos, que contribuiriam para o esquecimento.Sem dúvida; porém, outros fatores pesam. A experiência dos estudos policiais e criminológicos mostra que, nos alinhamentos para identificação de testemunhas, o número de pessoas colocadas no alinhamento influencia o resultado. O número conta: quanto maior, mais erros. Experimentos desse tipo minaram a f

A violência vem diminuindo no Recife?

Por José Maria Nóbrega Júnior Cientista Político Nos últimos meses parece que os indicadores de violência vem diminuindo em Pernambuco, com destaque para a região metropolitana. Entre 2008 e 2009 os números absolutos de mortes violentas letais e intencionais reduziram de forma significante, segundo os dados levantados pela Secretaria de Defesa Social pelo Condepe/Fidem (2008 = 4.531; 2009 = 4.012 > -519 mortes / 2008 taxa = 52,7 / 2009 taxa = 46,1 > -12,4%). As pessoas vem me falando que sentem alguma redução da criminalidade e da violência e vem apontando para uma maior sensação de segurança nas ruas. O governo estadual contratou mais policiais, mais viaturas e vem executando um programa de gestão em segurança que apresenta resultados expressivos. Em enquete aqui em meu blog, 58% dos que opinaram sobre a violência no Recife afirmaram achar que a mesma vem reduzindo, mas em pouca proporção. 25% deles acharam que as coisas continuam do mesmo jeito, ou seja, não vem observando r