Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 9, 2011

Dinâmica dos homicídios no Nordeste brasileiro – 2000 a 2010

Por José Maria Nóbrega Jr. – Cientista Político, Professor da UFCG A dinâmica do crime e da violência nos últimos dez anos demonstra que a criminalidade violenta e organizada vem sofrendo grandes transformações nesse período. O tráfico de drogas e o crime organizado estariam migrando do Sudeste para outras regiões do país devido a falta de estrutura do aparato estatal dos estados somado ao sucesso das políticas de segurança do Rio de Janeiro e de São Paulo. Estas hipóteses ainda precisam ser mais bem estudadas. Contudo, a dinâmica dessas mortes por agressão vem apontando para a robustez delas. A tabela abaixo aponta para a variação percentual comparando o ano de 2000 ao ano de 2010, nos números absolutos de homicídios. O único estado da região que mostra variação percentual negativa é Pernambuco. Os demais estados do Nordeste apontam para crescimento em percentuais bastante robustos. As taxas de homicídios respondem bem a esta dinâmica. Alagoas, que teve crescimento percentual n

Crime organizado migrou do Sudeste para o Nordeste há nove anos, dizem especialistas

Carlos Madeiro Especial para o UOL Notícias Em Maceió   Investigações recentes das polícias estaduais do Nordeste e da Polícia Federal indicam que o crime organizado se deslocou da região Sudeste para o Nordeste do Brasil há nove anos. Segundo o pesquisador do Instituto Sangari e autor dos trabalhos “Mapa da Violência”, Julio Jacobo, a primeira “notícia” de atuação de grupos criminosos do Rio de Janeiro e São Paulo no Nordeste ocorreu em 2002. “Estamos publicando esse estudo desde 1998. E em 2002 começamos a observar que, enquanto em algumas cidades extremamente violentas diminuiu o número de homicídio, em outras áreas, que não eram consideradas violentas, o número cresceu. Começava ali um fenômeno de desconcentração da violência”, afirmou. O pesquisador acredita que as organizações criminosas criaram espécies de “filiais” pelo Nordeste. “O crime é dinâmico. Grandes organizações criaram estruturas espalhadas pelo país. São as mesmas estruturas que existiam no Rio, em São Paulo