Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 1, 2017

Prognóstico acertado

José Maria Nóbrega Jr. Em meados de 2016 afirmei que, se os homicídios em Pernambuco continuassem no ritmo de crescimento de 2013 a 2015, teríamos, ao final do ano, 4.358 assassinatos. Com os dados quase consolidados para o ano de 2016, na SDS-PE, os homicídios fecharam o ano com a cifra de 4.380 mortes registradas pelo departamento de estatística do órgão. Em 2013 foram 3.102 homicídios perpetrados em Pernambuco, em 2014 foram 3.434 e em 2015 foram registrados 3.891. O crescimento percentual foi de 41% em três anos. Isso comprova a falência do Pacto Pela Vida, programa que chegou a ser responsável pela redução de 35% dos homicídios entre 2007 e 2013. As causas para a volta do crescimento dos homicídios em Pernambuco precisam ainda de estudos mais acurados, porém, algumas hipóteses podem ser levantadas para que sejam traçadas algumas linhas para possíveis testes causais. A primeira hipótese seria a mudança de governo que, de certa forma, rompeu com as tomadas de dec

Tirania Universitária

Publicado no Jornal do Commercio, 31.12.2016, Opiniões. Alexis de Tocqueville foi um dos importantes filósofos da política moderna a se preocupar em definir o conceito de tirania. Para ele, tomadas de decisão de maioria, ou de minoria, seriam ilegítimas quando estas afetassem direitos individuais de outros atores sociais. Faz tempo que, nas universidades públicas do Brasil, decisões de minorias travestidas de “democrática” atingem direitos da grande maioria universitária. A depredação no CFCH e no CAC esta semana representa bem do que é capaz a tirania universitária. Faz anos que ser de “direita” no ambiente universitário é mote para o sujeito ser perseguido e patrulhado por estudantes e colegas de “esquerda”. A esquerda universitária se tornou o policial ideológico dentro das universidades públicas. Além de intolerantes com os alunos e professores que não militam em seus exércitos, passaram, depois do impeachment, a um radicalismo escancarado. As ditas “ocupações” das uni