Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro 8, 2013

A fragilidade de nossas instituições coercitivas enfraquece a democracia brasileira

A 'justiça' do PCC 14 Set 2013 As mortes de quatro acusados de terem participado do assassinato do menino boliviano Brayan Yanarico Capcha, de cinco anos, durante um assalto à casa onde morava, no bairro de São Mateus, mostram a força do crime organizado em São Paulo e o modo como funciona tanto dentro quanto fora do sistema prisional, inteiramente à margem da ordem jurídica e das instituições judiciais. O crime foi cometido há dois meses e meio numa das áreas da zona leste em que as taxas de latrocínio mais têm a crescido, tendo como vítimas um número muito alto de imigrantes bolivianos. São pessoas pobres que, fugindo da miséria rural ou da fome nas periferias urbanas da Bolívia, vieram para o Brasil atraídas pelos postos de trabalho nas oficinas de costura e nas pequenas fábricas de confecções situadas nos bairros do Brás e da Mooca. Quase todos esses estabelecimentos empregam milhas de bolivianos em condições degradantes, com pagamento de salários aviltados e até

Cidades mais violentas da Paraíba são destacas em estudo da UFCG (G1 Paraíba)

http://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2013/09/98-das-vitimas-de-homicidio-na-pb-tem-baixa-escolaridade-diz-estudo.html 98% das vítimas de homicídio na PB  tem baixa escolaridade, diz estudo Nos 26 municípios mais violentos, 2.626 vítimas têm até ensino médio. Pesquisa da UFCG levanta dados consolidados de 2000 a 2010. Taiguara Rangel Do G1 PB 2 comentários Um estudo realizado pela Universidade Federal de  Campina Grande  (UFCG) com base nos 26 municípios mais violentos da Paraíba constatou que 98% dos homicídios registrados têm como vítimas pessoas que cursaram até o  ensino médio . Em números absolutos, a pesquisa orientada pelo professor e cientista político José Maria Nóbrega observou que 2.626 mortes no período de 2000 a 2010 foram de vítimas com baixa escolaridade, enquanto apenas 52 assassinatos foram de pessoas com mais de 12 anos de estudo. O trabalho de conclusão do  curso de Ciências  Sociais, realizado pela estudan