Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro 29, 2009

Número de mortes violentas cai 10% em nove meses

Publicado em 01.12.2009 (Jornal do Commercio, Recife) Até setembro deste ano foram 3.031 homicídios contra 3.398 em 2008. A violência cresce apenas nas cidades que têm menos de 20 mil habitantes A Agência Condepe/Fidem divulgou ontem, os números consolidados da violência em Pernambuco de janeiro a setembro de 2009. No comparativo com o mesmo período do ano passado, o total de crimes violentos letais intencionais (soma dos homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte) recuou 10,8%, passando de 3.398 no ano passado para 3.031 este ano. A análise das estatísticas por municípios mostrou que apenas nas cidades com menos de 20 mil habitantes, a violência continua crescendo. “Há duas explicações para isso. A primeira é que em cidades pequenas bastam poucos casos para que a taxa de homicídios cresça muito. Por outro lado, os municípios menores têm menos concentração populacional em áreas urbanas, o que torna mais difícil a inibição da criminalidade pela polícia”, ava

Maioria dos jovens já viu vítima de homicídio

Dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostram ainda que 30% deles já sofreram algum tipo de violência Conclusões foram tiradas a partir de duas pesquisas; na capital paulista, 13% afirmaram já ter presenciado um homicídio AFONSO BENITESDA REPORTAGEM LOCAL (Folha de São Paulo, 25 de novembro de 2009) A violência se incorporou à rotina do jovem brasileiro. A maioria (55%) diz ter visto corpos de pessoas assassinadas nos últimos 12 meses e 30% relatam que já foram vítimas de algum tipo de violência. Os dados são de duas pesquisas coordenadas pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública a pedido do Ministério da Justiça e divulgadas ontem, em São Paulo. Uma delas, feita pelo Instituto Datafolha entre junho e julho deste ano, mede a percepção que 5.185 jovens de 12 a 29 anos têm da violência em 31 cidades. O outro, elaborado pela Fundação Seade com dados de 2006, cria um índice que avalia a vulnerabilidade dos jovens à violência em 266 cidades com mais de 100 mil habitantes. Para