Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho 23, 2013

Estado, governo e suas responsabilidades

José Maria Nóbrega Jr. – Cidadão, Professor da UFCG e Cientista Político Uma das prerrogativas do estado é manter a ordem social e pública com o seu principal atributo: o monopólio da força e da violência. Este poder coercitivo inerente à ossatura do Estado Moderno vem sendo dividido por vários atores sociais – em sua maioria ilegais e sem legitimidade -, que assumem as vezes de monopólio da força em algumas situações onde o estado, através do seu governo, deveria regulamentar e garantir a propriedade privada das pessoas. Digo isso, por que na Cidade de Campina Grande – o que também pode ser visto na maioria das cidades médias e grandes do país, senão em todas – apresenta uma situação de irregularidade às vistas das autoridades públicas que é, no mínimo, inadmissível. Os famigerados “flanelinhas” ou “guardadores” de carro. Esses outsiders (para utilizar um termo eufemístico) estão tomando conta das ruas do centro da cidade de Campina Grande de uma forma violenta. Estão por

Com aval de Dilma, Fifa usa Forças Armadas como trunfo para segurança

Fernando Duarte Do UOL, em Salvador 22/06/201306h00 REUTERS/Roberto Stuckert Filho Dilma encontra Joseph Blatter, presidente da Fifa: até Forças Armadas contra os saques A Fifa (Federação Internacional de Futebol) já informou a seus parceiros comerciais, incluindo patrocinadores, que o governo brasileiro poderá usar as Forças Armadas para conter excessos de manifestantes na onda de protestos em cidades-sede de jogos da Copa das Confederações. Em conversas durante a semana sobre medidas de segurança com representantes de patrocinadores e outras empresas envolvidas com a Copa das Confederações, o  secretário-geral da entidade, Jerome Valcke, disse ter recebido do governo garantias de que as Forças Armadas estarão à disposição para reforçar a segurança  e aliviar o clima de incerteza que envolveu a competição. Se o discurso feito na noite de  sexta -feira pela presidente Dilma Rousseff deu pistas de que um endurecimento do aparato de segurança está nos planos para con