Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 20, 2013

Diagnosticando os Homicídios nas cidades mais violentas da Paraíba

José Maria Nóbrega - Pesquisador e Professor da UFCG. Analisando os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – estimativas populacionais de 2000 a 2010 – e os números de Mortes por Agressão (homicídios) do Sistema de Informação de Mortalidade do Sistema Único de Saúde (SIM/DATASUS), foram observados alguns aspectos importantes quanto à violência homicida no Estado da Paraíba. A proposta da análise foi avaliar o nível de violência nas principais cidades do Estado – aquelas com populações superiores aos cem mil habitantes no ano de 2010 – e quais os níveis percentuais do impacto dessa violência em relação à Paraíba como um todo (223 municípios) e a região Nordeste (1713 municípios). Os resultados demonstraram que a Paraíba é um estado extremamente violento e que as mortes por agressão, ou homicídios, são crescentes no período analisado e que estas cidades escolhidas concentram, em média, 61% de todos os assassinatos do Estado. O período 2000-2010 nos revel

Relação entre extrema pobreza e violência na Paraíba

José Maria Nóbrega Jr. – Professor e Pesquisador da UFCG. Em estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) foi demonstrado que o Programa Bolsa Família teve um impacto de 28% na redução da miséria no Brasil no ano de 2012. De acordo com o referido estudo, o percentual de miseráveis, que era de 3,6%, subiria para 4,9%, caso o Bolsa Família não existisse. A estimativa utilizou a linha oficial de pobreza extrema, que classifica como miserável quem sobrevive com renda per capita de até R$ 70 por mês. Na Paraíba, entre 2001 e 2009, o percentual de pessoas que vivem em extrema pobreza diminuiu de 31,31% em 2001, para 14,57% em 2009. Uma redução de 54% no percentual de pessoas em estado de miserabilidade na Paraíba nesse período (Cf. gráfico 1). Mas, o que dizer da violência? Boa parte da literatura sociológica vincula a melhoria da condição de vida das pessoas com o arrefecimento da violência. Contudo, quando medimos os indicadores que medem tanto um como outr