Pular para o conteúdo principal

Postagens

A correlação entre impunidade, violência homicida e democracia na América Latina

A correlação entre impunidade, violência homicida e democracia na América Latina
José Maria Nóbrega – Doutor em Ciência Política pela UFPE. Docente Adj. IV da UFCG.
A impunidade é colocada quase sempre como um fator causal para o crescimento da violência. Muitos afirmam, no lugar comum, essa relação, no entanto, só a ciência social empírica pode testar com certa razoabilidade esta hipótese causal. O Global Impunity Index, ligado a University of The Americas Puebla, a Jenkins Graduate School e o Center of Studies on Impunity and Justice (CESIJ), produziu um indicador de impunidade e comparou os níveis de impunidade em 69 países em 2017. Nossa tarefa aqui será testar, em certa medida, os níveis de democratização na América Latina, os níveis de violência homicida e de impunidade, correlacionando-os. O V-DEM Institute é uma organização que avalia os níveis de regime político entre mais e menos democráticos no Globo. O escore médio calculado por esta instituição é responsável por mensurar e c…
Postagens recentes

Marielle e os homicídios

Cientista Político José Maria Nóbrega

A última semana foi muito difícil. O caso do assassinato brutal da vereadora pelo PSOL do Rio, Marielle Franco, fez entrar em erupção uma série de postagens nas redes sociais, de todos os vieses ideológicos, algumas beirando a total falta de humanidade. Marielle era uma mulher interessante, engajada na causa pelos mais pobres e excluídos das favelas do Rio de Janeiro, lutava contra a violência estatal. A investigação está em curso e muito se especula sobre o assunto. Mas, quantas mulheres são assassinadas por ano no país? Qual o perfil estatístico da vítima de homicídio? Quais as causas da violência homicida? Isso, ninguém parece querer saber. No último ano disponível nos dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública (2017), foram 4.657 mulheres assassinadas no país, o que equivale a 7,5% dos mais de 61 mil homicídios, em 2016. O perfil estatístico da vítima de homicídio no Brasil é jovem, do sexo masculino, tem entre 15 e 39 anos de idade, baixo…

Violência homicida no interior pernambucano: dinâmica dos dados e teste de hipóteses causais

Violência homicida no interior pernambucano: dinâmica dos dados e teste de hipóteses causais José Maria P. da Nóbrega Jr[1] INTRODUÇÃO Com o declínio do Pacto Pela Vida[2], que se tornou uma política defasada, a violência em Pernambuco voltou a crescer nos seus dados agregados. Os dados no interior sugerem que houve processo migratório da região metropolitana para as cidades do interior pernambucano. O exemplo citado na imprensa com maior destaque foi o de Caruaru, maior cidade do interior do estado que proporcionou números elevadíssimos de violência no último ano disponibilizado pela Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS-PE). No entanto, faltam estudos mais acurados sobre essa dinâmica da morte violenta intencional no interior do nordeste brasileiro. É clara a decadência humanitária nessa região do país que concentra quase 50% dos homicídios perpetrados em todo o território. Entre 2000, com pouco mais de 9.200 assassinatos, até 2016, com mais de 24.800 óbitos por agressão, o aum…