Pular para o conteúdo principal

Postagens

Homicídios em Campina Grande

Por José Maria Nóbrega Jr. - Professor de Ciência Política da UFCG.
A violência homicida em Campina Grande sofreu um incremento percentual de 15% no comparativo 2016/2017, enquanto em João Pessoa houve redução de 14,8% no mesmo indicador. Dados estes catalogados pela Secretaria de Defesa Social da Paraíba (SDS-PB). Meu objetivo aqui é analisar a dinâmica das mortes por agressão e dos crimes violentos letais e intencionais (CVLIs) ocorridos em Campina Grande, nos dois bancos de dados disponíveis: o banco de dados do Sistema de Informação de Mortalidade do DATASUS (Sistema Único de Saúde) e o banco de dados da SDS-PB.

Primeiramente, a análise abordará a dinâmica dos homicídios (Mortes por Agressão, no SIM/DATASUS) entre 2005 e 2015, ou seja, em dez anos, em sua série temporal. Posteriormente, analisarei os dados da SDS-PB (CVLIs), numa série menor, de 2012 a 2017 e no seu comparativo com os dados do SIM entre 2012 e 2015.
Observa-se que os dados do SIM entre 2005 e 2015, apresentaram um in…
Postagens recentes

Estudo de professor da UFCG analisa a dinâmica da violência homicida, suas implicações socioeconômicas e institucionais

Um artigo sobre um estudo da violência por meio de homicídios no Nordeste brasileiro de autoria do professor José Maria Pereira da Nóbrega Júnior, do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido da UFCG, foi publicado no periódico científico Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social (Volume 10, número 3 de 2017). "Os homicídios no Nordeste brasileiro crescem de forma linear e contínua desde o início da década de 1980", destaca o autor no artigo 'Violência homicida no Nordeste brasileiro: Dinâmica dos números e possibilidades causais', no qual analisa a dinâmica da violência homicida, suas implicações socioeconômicas e institucionais, com o objetivo de avaliar algumas possibilidades causais entre desigualdade e pobreza, o desempenho econômico e o papel das instituições coercitivas na relação com os homicídios na região. "Para isso, foi utilizado o método estatístico descritivo e o teste de variáveis independentes no intuito de testar algum…

Mortes violentas intencionais no Nordeste e suas conexões com os gastos em segurança pública e as apreensões de armas de fogo ilegais

Mortes violentas intencionais[1] no Nordeste e suas conexões com os gastos em segurança pública e as apreensões de armas de fogo ilegais
Por José Maria P. da Nóbrega Júnior – Doutor em Ciência Política pela UFPE, Historiador e Professor de Ciência Política e Gestão Pública da UFCG, PB, Brasil.
No Brasil, em 2016, foram 61,5 mil pessoas assassinadas no país. Dessas, 24.825 foram perpetradas na região nordeste, o que corresponde a mais de 40% dos casos registrados no país. As três maiores taxas de homicídios do país foram nordestinas: Sergipe, no topo, com 64/100 mil; Rio Grande do Norte, que proporcionou uma das cenas mais violentas da história do Brasil no início do ano, no Presídio de Alcaçuz, na Grande Natal, com um verdadeiro massacre sangrento proporcionado por facções criminosas[2], teve a segunda maior taxa de homicídios do Brasil, 56,9/100 mil; e Alagoas, que vinha no topo da lista, passou ao terceiro lugar com a taxa de 55,9/100 mil (FBSP, 2017).
Fonte: Presos ligados ao PCC usam…